A ergonomia no esocial

Devido ao novo e tão falado projeto do governo para unificação de informações, o chamado eSocial colocou a Ergonomia em um novo patamar dentro das empresas.

Em meio a tantas tabelas e leiautes, a ergonomia vem ganhando cada vez mais visibilidade. Um ótimo exemplo disso é quando comparamos a versão 2.1, de Fevereiro de 2015 com a versão 2.2, de Setembro de 2016.

De uma versão para outra pudemos observar o acréscimo de 12 itens ergonômicos a serem avaliados na tabela S-1060 (tabela correspondente aos quesitos ergonômicos), sendo subdivididos em 4 quesitos, como mostra a tabela a seguir.

Consequentemente, após algumas alterações na tabela e inúmeras palestras e treinamentos promovidos por entidades parceiras do Governo, houve uma busca das empresas por maiores informações para o devido preenchimento e automaticamente a busca por profissionais com conhecimento amplo e dinâmico nessa área também.

Através do eSocial, as empresas deverão se organizar e ter profissionais tecnicamente aptos para orientar e auxiliá-las no preenchimento dessas tabelas, que passam a ser obrigatórias a partir de 2018, de acordo com o seu faturamento anual (fechamento – ano 2016).

Um dos grandes desafios impostos aos profissionais de Ergonomia é a definição clara e objetiva entre Trabalho Seguro x Riscos Ergonômicos, uma vez que o eSocial exige somente o preenchimento dos postos que possuem riscos ergonômicos.

Com essa nova abordagem muitas dúvidas surgem diariamente, por exemplo: quais as ferramentas que devemos utilizar? Será que o posto que estou avaliando possui risco ergonômico ou ele é somente um posto que tenha uma exigência física intensa? Como realizar uma Análise Ergonômica do Trabalho (AET) para atender o eSocial? Existe um modelo padrão para isso?

Os aspectos cognitivos também serão cobrados, mostrando a grande importância das situações de carga mental sempre apontadas pelos profissionais, porém pouco entendidas pelas empresas: mais um ponto positivo para a Ergonomia.

Observando o cenário futuro após implantação total do programa do eSocial, que tem sua data prevista para 2018, é hora de todos os envolvidos, principalmente os profissionais das áreas afins, buscarem um maior entendimento e conhecimento sobre o assunto.

Autora: Prof.ª Flavia Della Santina, Professora do curso “ A Ergonomia no eSocial” – Faculdade Inspirar.