A fisioterapia nas doenças respiratórias

Nesta época do ano destacam-se por conseqüência de seca e queimadas os problemas respiratórios que afetam tanto os adultos como as crianças. Dentre esses problemas estão rinite, sinusite, bronquite, asma e pneumonia.
A fisioterapia respiratória atua no tratamento de indivíduos de todas as idades com distúrbios pulmonares agudos ou crônicos. Ela utiliza estratégias, meios e técnicas de avaliação e tratamento não-invasivo, que têm como objetivo a otimização do transporte de oxigênio, contribuindo assim para prevenir, reverter ou minimizar esses problemas, promovendo a máxima funcionalidade e qualidade de vida dos pacientes.
A intervenção do fisioterapeuta em pacientes com problemas respiratórios baseia-se no seu exame, tratamento e avaliação dos resultados. Pode ser realizada em ambientes hospitalares, no pré e pós operatório de diversas cirurgias, em Unidades de Terapia Intensiva, clínicas particulares, ambulatórios, centro de assistência e reabilitação e até mesmo na casa do paciente, quando se fizer necessário.
A fisioterapia respiratória tem grande indicação nos casos de pacientes com crises repetidas de asma, bronquite, pneumonia ou outras doenças respiratórias, principalmente quando ocorre grande produção de secreção dentro dos brônquios.
O tratamento dá ênfase a técnicas de relaxamento e alongamento de todos os músculos envolvidos no processo respiratório, engloba técnicas de desobstrução brônquica e das vias aéreas superiores, reeducação funcional respiratória, correção das deformidades do tórax e da postura global do paciente.
Através de exercícios específicos, o tratamento fisioterapêutico respiratório, aumenta o condicionamento físico e respiratório do paciente.
Uma respiração correta é indispensável ao bem estar geral do nosso corpo. O papel da fisioterapia pode ser de suma importância na reeducação respiratória melhorando e potencializando o processo respiratório prevenindo e tratando os problemas respiratórios.

Fonte: Universidade Brasil