A Psicologia da Pedofilia e a Neurociência

Todas as classes sociais estão sujeitas ao aparecimento do Pedófilo, esta prática já acontecia a muitos séculos, nos bacanais do deus do vinho Bakus, as  festas anuais traziam  pervertidos  de todos os lugares da Grécia, a celebração  tinha como característica a embriaguez coletiva.  Com o tempo, as festas tiveram o seu fim…. Tudo passa, tudo passará… A vida segue em frente , mudam  as pessoas, a cultura, e  novas sociedades se formam. Sempre faz existir o submundo da perversão e o s  desafios    são muitos  grandes para os estudiosos , a dar nomes as   novas  patologias  psiquiátricas  e  comportamentais . A ciência na sua evolução  científica, procura  descobrir , explicar e  desvendar comportamentos  “anormais” do ser humano. Vamos neste ARTIGO CONHECER UM POUCO DO MUNDO PSICOLÓGICO E NEUROCIENTÍFICO DO PEDÓFILO, TENDO UM VISÃO SISTÊMICA DOS ÚLTIMOS ESTUDOS FEITOS.

1. DESCREVENDO O COMPORTAMENTO PEDÓFILO :
1.1. O QUE É PEDOFILIA ?
Pedofilia (também chamada de paedophilia erotica ou pedosexualidade) é um transtorno psiquiátrico em que um adulto ou adolescente mais velho sente uma atração sexual primária ou exclusiva por crianças pré-púberes, geralmente abaixo dos 11 anos de idade. Tal como um diagnóstico médico, critérios específicos para o transtorno classificam a pré-puberdade até os 13 anos.

1.2. DIAGNÓSTICO NOSOLÓGICO :
A Classificação Internacional de Doenças (CID-10), da Organização Mundial da Saúde (OMS), item F65.4, define a pedofilia como “Preferência sexual por crianças, quer se trate de meninos, meninas ou de crianças de um ou do outro sexo, geralmente pré-púberes.
O Diagnostic and Statistical Manual of Mental Disorders (DSM-IV)da Associação de Psiquiatras Americanos, define uma pessoa como pedófila caso ela cumpra os três quesitos abaixo:

1. Por um período de ao menos seis meses, a pessoa possui intensa atração sexual, fantasias sexuais ou outros comportamentos de caráter sexual por pessoas com 13 anos de idade ou menos ou que ainda não tenham entrado na puberdade.
2. A pessoa decide por realizar seus desejos, seu comportamento é afetado por seus desejos, e/ou tais desejos causam estresse ou dificuldades intra e/ou interpessoais.
3. A pessoa possui mais do que 16 anos de idade e é no mínimo 5 anos mais velha do que a criança.
2. ENTENDENDO A DINÂMICA DA PEDOFILIA
2.1. ESTUDOS REALIZADOS COM OS PEDÓFILOS :
Muitos pesquisadores tem relatado correlações entre a pedofilia e algumas características psicológicas, como baixa auto- estima, e baixa habilidade social. Até recentemente, muitos pesquisadores acreditavam que a pedofilia fosse causada por essas características. A partir de 2002, outros pesquisadores, em especial os sexólogos canadenses James Cantor e Ray Blanchard junto com seus colegas, começaram a relatar um série de descobertas relacionando a pedofilia (a definição médica da preferência sexual por crianças, não a definição comportamental utilizada por outras fontes) com a estrutura e o funcionamento cerebrais: homens pedófilos (e hebefílicos)possuem QI mais baixo, pontuação mais baixa em testes de memória, maior proporção de canhotos, taxas mais altas de repetência escolar em proporção com as diferenças de QI, menor estatura, maior probabilidade de terem sofrido ferimentos na cabeça acompanhados de perda de consciência, e várias diferenças em estruturas cerebrais detectadas através de ressonância magnética nuclear (MRI). Eles relatam que suas descobertas sugerem a existência de uma ou mais características neurológicas congênitas (presentes ao nascer) que causam ou aumentam a probabilidade de se tornar um pedófilo. Evidências de transmissão familiar “sugerem, mas não provam que fatores genéticos sejam responsáveis” pelo desenvolvimento da pedofilia.
2.2. ESTUDOS DA NEUROCIÊNCIA.
Os autores apontam três principais teorias neurobiológicas para a pedofilia:

1. a primeira é a teoria do “lobo frontal”, que refere-se ao córtex orbitofrontal e dorsolateral do córtex pré-frontal que apresentam diferenças entre os lados esquerdo e direito e que são frequentemente vistas em homens pedófilos. À medida que o córtex órbito-frontal é responsável pelo controle do comportamento especialmente na inibição do comportamento sexual, as diferenças de volume ou disfunção nessa área poderiam explicar o distúrbio de comportamento sexual relacionado com pedofilia.
Diferenças entre os lados esquerdo e direito do cérebro do pedófilo( córtex-orbitofrontal e dorsolateral).
2. Já a segunda teoria do “lobo temporal”, pois existem relatos da hipersexualidade, que acompanha a pedofilia e estudos têm demonstrado que as perturbações dos lobos temporais poderiam resultar em um aumento nos comportamentos pedófilos ou um aumento na amplitude de interesses sexuais. Estes distúrbios incluem lesões temporais e esclerose do hipocampo (Hall e Hall, 2007).

• Diferenças entre os lados esquerdo e direito do cérebro do pedófilo( córtex-orbitofrontal e dorsolateral).

2. Já a segunda teoria do “lobo temporal”, pois existem relatos da hipersexualidade, que acompanha a pedofilia e estudos têm demonstrado que as perturbações dos lobos temporais poderiam resultar em um aumento nos comportamentos pedófilos ou um aumento na amplitude de interesses sexuais. Estes distúrbios incluem lesões temporais e esclerose do hipocampo (Hall e Hall, 2007).

• Lesões temporais e esclerose do hipocampo (alterações funcionais).

3. A terceira teoria neurobiológica afirma que diferenças nas estruturas cerebrais de dimorfismo sexual são afetadas pela masculinização do cérebro que influenciaria mais fortemente o desenvolvimento da pedofilia, isto é, estruturas cerebrais aumentariam ou diminuiriam seu volume como resultado da exposição à testosterona.

Mas, uma teoria adicional, ( junção das teorias) por outro lado, combina as teorias do lobo frontal e temporal, e afirma que os lobos frontais e temporais afetam a expressão da preferência sexual do pedófilo e seus comportamentos associados de forma diferente. Alterações do lobo frontal (orbitofrontal e córtices pré-frontal dorsolateral) aumentariam o risco de cometer os crimes sexuais contra crianças e alterações do lobo temporal (amígdala e hipocampo) levariam ao desejo sexual por crianças em homens pedófilos.

Atualmente, a pedofilia é muitas vezes vista como uma interação entre os fatores do desenvolvimento neurológico e o ambiente uterino.


3. PREVALÊNCIA DO PEDÓFILO QUANTO AOS TRANSTORNOS DE PERSONALIDADES.

Homens pedófilos apresentam, na maioria dos casos, histórico de transtornos psiquiátricos, que muitas vezes podem até ofuscar a descoberta da etiologia. Entre pedófilos em tratamento residencial ou ambulatorial, dois terços tinham uma história da vida de transtornos do humor ou ansiedade, 60% tinham história de abuso de substâncias, e 60% são qualificados para um diagnóstico de transtorno de personalidade obsessivo-compulsiva (25%), sendo anti-social (22,5%), narcisista (20%) e de evitação (20%) as mais comuns. A grande questão nesse caso seria: devemos continuar a classificar a pedofilia como um transtorno psiquiátrico ou como uma orientação sexual ?

4. TRATAMENTO :
Técnicas utilizadas para o tratamento da pedofilia incluem um “sistema de suporte de doze passos”, paralelo à terapia de vícios, embora tal sistema é visto por muitos como o meio menos eficiente de tratamento. Medicações antiandrogênicas, tais como o Depo Provera, podem ser utilizadas para diminuírem níveis de testosterona, e são constantemente utilizados, em conjunto com outras medidas. Castração química que vem sendo utilizado por muitos países, e tem dado efeito esperado. A aplicação como coadjuvante da terapia Cognitiva comportamental (TCC), eliminando através das técnicas, associações fantasiosas sexuais do paciente.

TÉCNICAS DO TRATAMENTO ATUAL :
• Sistema de Suporte dos dozes passos,(mesmos para os viciados em drogas).
• Medicações antiandrogênicas, (terapia de controle- antilibidinal).
• Terapia Cognitiva Comportamental (TCC).
• Castração Química, (terapia de controle ).
5. PROGNÓSTICO :
Atualmente a ciência tem dado um prognóstico sombrio para a cura, mas alguns países em casos severos, adotaram a castração química.
Se você conhece alguém assim… oriente-o na ajuda de um especialista ou procure a policia em caso extremo.

FONTE: Linkedin DOUGLAS DANTAS MUNIZ

 

 

 

4 Comments

  1. Douglas Dantad Muniz 18/09/2016 at 9:02 pm

    Obrigado por divulgar o meu artigo, tenho outros também importantes. Douglas Dsntss Muniz

    • Nós que agradecemos pelo conteúdo interessante. Ficaremos atentos para suas próximas postagens. Continue acompanhando nossas publicações 🙂

  2. Douglas Dantas Muniz 21/09/2016 at 4:41 pm

    Vide um sobre esquizofrenia fora pulse do linkedin na área de saúde.

Leave a comment

Your email address will not be published.


*