Acupuntura complementa tratamentos odontológicos

Terapias integrativas e complementares, antes denominadas terapias alternativas, vêm sendo cada vez mais usadas por profissionais da saúde – em especial, pelos cirurgiões-dentistas. Reconhecida em 2015 como especialidade odontológica pelo Conselho Federal de Odontologia (CFO), a acupuntura é um método de tratamento, prevenção e manutenção da saúde do paciente, proporcionando mais conforto, segurança e eficiência aos procedimentos realizados nas clínicas odontológicas.

Quem conhece os benefícios da acupuntura, que faz parte do complexo chamado de Medicina Tradicional Chinesa, tem valorizado esse diferencial do tratamento odontológico convencional. De acordo com o cirurgião-dentista Helio Sampaio Filho, diretor do Departamento de Acupuntura do Conselho Científico da APCD (Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas), a acupuntura tem se mostrado uma excelente opção para que as mais diversas intervenções odontológicas obtenham êxito.

“Não se trata de substituir nenhum procedimento, mas de complementar, integrando e auxiliando para um melhor resultado. No caso da anestesia convencional, por exemplo, a acupuntura é empregada de forma complementar, contribuindo para que o efeito seja rápido e eficaz. Isso leva a uma redução da quantidade de agentes anestésicos, diminuindo também o risco em relação à sua toxicidade”, diz o especialista.

Usada na China há mais de 2.500 anos, a acupuntura é a terapia complementar mais conhecida no mundo todo. “Os mecanismos de ação, estudados dentro de bases científicas sólidas e validadas, demonstram a liberação de mediadores químicos – endorfinas e beta-endorfinas – que potencializam a ação analgésica, agindo nas dores faciais, de modo geral, como relaxante muscular nos distúrbios relacionados a ATM (articulação temporomandibular), cefaleias tensionais e estados de hiperansiedade, entre outros”, afirma Sampaio.

Outro uso muito importante da acupuntura na odontologia está relacionado à sua ação antiemética, que controla o reflexo de ânsia e vômito tão comum em procedimentos odontológicos – do simples posicionamento de um filme para radiografia intraoral até a introdução de moldeiras na cavidade oral. Neste caso, a técnica empregada é a auriculoterapia – em que são aplicadas pequenas esferas em pontos específicos da orelha do paciente, atenuando a ansiedade e o estresse que podem se manifestar de forma intensa nesses procedimentos.

De acordo com Helio Sampaio Filho, tanto na acupuntura sistêmica (em que são agulhados pontos distribuídos no corpo todo, localizados nos meridianos – que são vias de circulação de energia chi), quanto na auriculoterapia (em que são agulhados pontos localizados na orelha), estímulos elétricos (eletroacupuntura) e radiação laser (laserpuntura) também podem ser usados como substitutos das agulhas. Além de resultados promissores, são técnicas menos invasivas. Vale a pena conferir.

Fonte: Segs