Benefícios da ginástica laboral: como ela ajuda sua equipe

Os benefícios da ginástica laboral são percebidos cada vez mais pelas empresas e o investimento no bem-estar corporativo está se tornando prioridade. Segundo o Instituto Great Place to Work, as empresas que se destacam como as melhores para se trabalhar são também as que mais investem em estudos e ações direcionadas à saúde integral dos colaboradores. E o resultado desse tipo de investimento é o sucesso, tanto financeiro quanto da qualidade do produto e/ou da prestação de serviço. Sendo assim, investir na saúde da equipe é uma estratégia para se destacar no mercado e alcançar uma maior lucratividade.

Entre as opções de serviços para promoção da saúde e do bem-estar dos colaboradores, podemos destacar a ginástica laboral e seus inúmeros benefícios e possibilidades. Afinal, é uma atividade prática, de curta duração e de muita eficácia. A técnica ajuda na prevenção e no tratamento de algumas doenças, além de promover a manutenção do equilíbrio físico, mental e psicológico dos colaboradores.

Então, que tal compreender melhor os benefícios da ginástica laboral e como ela pode ajudar sua equipe a se manter saudável? Acompanhe neste artigo.

O que é ginástica laboral?

Ginástica laboral é a prática de exercícios físicos pelos colaboradores durante o expediente de trabalho. É uma intervenção rápida que dura, aproximadamente, de 10 a 15 minutos, feita no próprio local de trabalho e que tem a supervisão direta de profissionais especializados. Pode ser feita no início, no meio e/ou no fim do expediente de trabalho. Os exercícios são baseados em técnicas de alongamento, respiração, controle e percepção corporal, reeducação postural e compensação dos músculos.

Benefícios físicos e prevenção de lesões

Os exercícios trabalham o fortalecimento do sistema osteomuscular e ainda proporcionam benefícios fisiológicos, relacionados ao sistema cardíaco e respiratório. Quando realizados no início da jornada de trabalho, os exercícios promovem um aquecimento dos grupos musculares que irão ser solicitados durante a execução das tarefas laborais. Assim, o colaborador desperta e tem mais disposição para enfrentar a jornada de trabalho.

Já quando a prática é realizada no meio da rotina laboral, ela interrompe a monotonia operacional e os exercícios fazem a compensação aos esforços repetitivos. Desse modo, os vícios posturais negativos são evitados e há uma melhora na circulação sanguínea, pois acontece a retirada de resíduos metabólicos.

Ao fim do expediente, a ginástica laboral ajuda a oxigenar as estruturas musculares envolvidas nas tarefas diárias, minimizando a fadiga, liberando as tensões acumuladas durante o dia, reduzindo o estresse e evitando o acúmulo de ácido lático, o que previne as possíveis instalações de lesões.

Com o sistema osteomuscular fortalecido, o colaborador tende a se manter em uma postura adequada, evita os danos por esforço repetitivo e ainda adquire mais equilíbrio e preparo físico. Assim, é possível prevenir doenças ocupacionais, como a LER (lesão por esforço repetitivo) e o DORT (distúrbios osteomoleculares relacionados ao trabalho). Além disso, a ginástica laboral previne o sedentarismo e aumenta a consciência corporal, pois melhora a flexibilidade, a coordenação e a resistência física. A educadora física do serviço de medicina preventiva da Unimed Campo Grande, Cosma Regina da Silva, explica que:

“A ginástica laboral reduz a incidência das dores e lesões mais comuns, como lombalgia, cervicalgia e tendinites, causadas, dentre outros fatores, por estresse e má postura. Ela não sobrecarrega nem cansa o funcionário, porque é leve e de curta duração. Ela é uma medida preventiva contra lesões. ”

Exercitar para reduzir o estresse

Uma pesquisa feita pelo CPH Health, do segmento de saúde corporativa, revelou que 49% dos funcionários das companhias brasileiras estão em um significativo nível de estresse. O estresse leva ao adoecimento e diminui o rendimento do colaborador.

A ginástica laboral ajuda no combate ao estresse corporativo, uma vez que a prática previne e alivia as dores, melhora o clima organizacional, reduz a sensação de cansaço e indisposição. O estudo de Heyla Medeiros e Solange Andrade, Influência da ginástica laboral na minimização do estresse ocupacional, confirma esses benefícios.  A pesquisa demonstrou que:

  • 100% dos colaboradores participantes da prática e do estudo reconhecem a ginástica laboral como minimizadora do estresse;
  • 91% relataram o aumento da interação entre os funcionários;
  • 55% apontaram que a adesão ao programa os incentivou à prática de exercícios fora do ambiente de trabalho.

Bem-estar mental e emocional

Como a ginástica laboral promove um maior bem-estar físico e ainda diminui o estresse, ela também minimiza tensões emocionais e psicológicas, reduzindo a incidência de depressões e de ansiedade. A prática traz verdadeiros benefícios para o bem-estar mental e emocional. Segundo Paulo Marchesini, estudioso da prática, em seu estado psicológico, a ginástica laboral:

“reforça a autoestima do trabalhador, pois proporciona a conscientização da importância de seu trabalho frente à empresa.  Busca ainda, uma mudança em sua rotina, o que melhora a capacidade de concentração no trabalho. Além disso, ajuda a combater as tensões emocionais, o que também melhora a atenção e a concentração nas atividades desempenhadas.”.

Ginástica laboral e ergonomia

Percebemos até aqui  que a ginástica laboral traz benefícios para a saúde física e psicológica do trabalhador. Ela auxilia para que a execução das atividades laborais seja mais confortável, o que ajuda o colaborador a desempenhar melhor suas tarefas.

Segundo a NR-17 (norma regulamentadora número 17), que é considerada a norma da ergonomia, as empresas devem estabelecer parâmetros que permitam a adaptação das condições de trabalho às condições psicofisiológicas dos trabalhadores, de modo a proporcionar um máximo de conforto, segurança e desempenho eficiente.

Sendo assim, a ginástica laboral atua como uma grande aliada da ergonomia no ambiente de trabalho, uma vez que contribui diretamente para que o trabalhador obtenha as condições físicas necessárias para a execução de suas tarefas. A ergonomia, por sua vez, determina as exigências técnicas normativas para que o colaborador desempenhe sua atividade laboral com maior produtividade e prevenção de doenças ocupacionais, melhorando o bem-estar corporativo. Aliando as duas práticas, propiciamos um ambiente de trabalho adequado com mais segurança e saúde para os colaboradores.

Conclusão

A ginástica laboral é um excelente programa de recuperação e manutenção da saúde, da qualidade de vida e para promover momentos de descontração, planejada e aplicada no ambiente de trabalho. Os benefícios da ginástica laboral já são reconhecidos por extensas parcelas das empresas em todo o mundo.

É um investimento em bem-estar corporativo com alto valor de ROI (Return on Investment). Pesquisas realizadas nos Estados Unidos indicam que para cada dólar investido em programas de qualidade de vida dos funcionários, no qual se incluem a ginástica laboral, são economizados três dólares, incluindo assistência médica, diminuição das faltas no trabalho, na rotatividade, além de um aumento significativo da produtividade.

E é por isto, que cada vez mais empresas estão adotando a ginástica laboral. Afinal, o ambiente de trabalho se transforma em lugar de qualidade de vida e excelência, motivando os colaboradores a entregarem os melhores resultados para a empresa.

Fonte: BeeCorp