Conheça mais sobre o treinamento funcional

O treinamento funcional se apoia nos princípios básicos do treinamento desportivo e apresenta uma grande variedade de movimentos que pode ajudar o corredor em sua performance e também para evitar lesões.

Segundo o professor de educação física, Ricardo Santos, preparador físico do Clube Paineiras do Morumby, a ideia central do treinamento funcional é estimular, de forma integrada, diversas qualidades físicas (flexibilidade, equilíbrio, força, resistência, coordenação, agilidade, velocidade e mobilidade).

Prova de corrida: estudos apontam que o treinamento funcional surgiu há mais de 50 anos nos EUA e Europa

Prova de corrida: estudos apontam que o treinamento funcional surgiu há mais de 50 anos nos EUA e Europa

“Vários dos objetivos desse método de exercício representam uma volta à utilização dos padrões fundamentais do movimento humano (como empurrar, puxar, agachar, girar e lançar) integrando o corpo todo”, diz o especialista em treinamento funcional e exercícios aplicados à reabilitação cardíaca e grupos especiais.

Publicidade

Estudos apontam que o treinamento funcional surgiu há mais de 50 anos nos EUA e Europa. “Desde então, esse conceito foi amplamente utilizado de maneira aleatória e de formas diversas no Brasil, somente a partir de 1998, o Professor Luciano D’Elia foi precursor do treinamento funcional em nosso país, implantando um sistema de controle da modalidade, chamado CORE 360º. Atualmente, a modalidade está mais ampla e passou a ser destinada também ao individuo comum”, conta o profissional.

Funcional e o corredor

Santos indica que tanto o corredor profissional quanto o amador terão os seguintes benefícios com o treino funcional:

Melhora da manutenção da postural durante o percurso;
melhora da biomecânica da passada resultando em economia de energia;
ganho de força, flexibilidade e equilíbrio auxiliando na diminuição de lesões comuns na corrida.
ativação da musculatura estabilizadora e posteriormente a ‘movimentadora’ dando grande ênfase no centro do corpo (CORE – Complexo lombo-pélvico, quadril)
trabalha as extremidades como braços e pernas, ao contrário da maioria dos exercícios convencionais
“Isso tudo trabalhado de forma integrada deixa o corredor mais completo”, explica o educador físico. O professor ainda lembra que por causa desse trabalho de todas as ‘musculaturas’ do organismo há um aprimoramento do mecanismo metabólico resultando em um maior gasto calórico durante e após a sessão de treinamento.

Método Tabata

“Protocolo Tabata” ou “Tabata Training” é uma técnica descoberta pelo Dr. Izumi Tabata em Tóquio (antigo investigador do Instituto Nacional Japonês de Fitness e Desporto).

“Este método consiste basicamente em 8 séries de um mesmo exercício com duração de 20 segundos para cada série com 10 segundos de descanso”, ensina Santos.
.
Dr. Tabata e sua equipe concluíram que indivíduos que usaram esta técnica de 4 a 5 vezes por semana, tiveram uma melhora na sua capacidade aeróbia em 14% e na capacidade anaeróbia em 28%.

“A eficácia deste protocolo está baseada, principalmente, em ter um período de descanso muito reduzido.

Este método de treinamento aparentemente fácil foi desenvolvido para atletas Olímpicos. Trata-se de um regime de treino muito intenso em que os níveis de glicogênio muscular baixam bastante e os de ácido lático aumentam.

Este treinamento pode ser feito com pesos livres, com exercícios multi articulares utilizando apenas o peso do corpo e quase tudo que você possa imaginar, resultando em um maior gasto calórico durante e após a sessão de treinamento”, finaliza o professor.

FONTE: Exame

Leave a comment

Your email address will not be published.


*