Em Manaus, novo complexo Area Fit leva treino funcional para além da areia.

O studio reúne as marcas Gaff (franquia criada pelo manauara Alexandre Franco, que mora no Rio de Janeiro), Champions Factory e Ribeiro Jiu-jítsu.

Manaus – Para quebrar o paradigma de que treino funcional só funciona em ambientes externos, inaugura, nesta semana, a Area Fit Studio, espaço destinado à prática de atividades físicas e lutas marciais, como muay tay e jiu-jítsu. “O treino vai além da areia”, reforçou Emerson Benchimol, um dos sócios da casa.

O studio reúne as marcas ‘Gaff’ (franquia criada pelo manauara Alexandre Franco, que mora no Rio de Janeiro), ‘Champions Factory’ e ‘Ribeiro Jiu-jítsu’. “O projeto teve um ano de planejamento e não há nada parecido no mercado de Manaus”, disse.

O complexo também tem espaço para refeições leves e conta com uma sala para fisoterapia, onde a especialista Milena Matias oferece orientações em nutrição esportiva, ortopedia e osteopatia.

Como funciona

O treino, que vai além da areia, consiste em três fases: aquecimento, cardiovascular e neurovascular. “Temos uma metodologia a ser seguida, dependendo do que a pessoa deseja adquirir, como resistência, treinamento para prova física de concursos, aprimorar em algum esporte, aumentar a massa muscular ou melhorar o condicionamento físico. Fazer o treino funcional, muay tay ou jiu-jítsu visa manter ou melhorar a qualidade de vida, o bem-estar e a saúde”, reforçou Anderson Benchimol, que destacou que a atividade é intensa e pode ser feita até três vezes por semana.

Entre os itens que fazem toda a diferença no treino funcional, está o ‘slide’, que trabalha bumbum e coxas. Nessa atividade, o praticante desliza como se estivesse em uma prancha de ‘snowboard’. Também são praticados o Kettlebell e as tradicionais cordas.

Novatos

O espaço, que já está com lista de espera para novos alunos, equilibra aulas com, no máximo, 12 pessoas. “Com esse número, os profissionais conseguem atender os alunos confortavelmente. Os horários são de acordo com a disponibilidade de cada um”, explicou Emerson. As aulas pesonalizadas podem ser divididas em pacotes especiais com lutas e/ou treinamento funcional.

Lutas

No segundo andar, o espaço para lutas, que poderia ser dominado por homens, tem as mulheres como maior público. “85% dos alunos de muay tay são mulheres. Algumas têm interesse no jiu-jítsu como forma de autodefesa”, garantiu Emerson, que por conta da grande procura das mulheres já tem várias turmas fechadas e ainda possui brinquedoteca.

“A maioria das mulheres procuram o muay tay para o bem-estar e, com o tempo, uma pequena porcentagem acaba migrando para o esporte. A modalidade exige muito do pulmão e preparo físico”, disse Rodrigo Saavedra, que explicou as diferenças da técnica de defesa do jiu-jítsu e do muay tay. “No jiu-jítsu a defesa é no chão, já no muay tay a luta é em pé e são utilizadas as oito armas – punhos, cotovelos, joelhos e canelas.

Curiosidade

A palavra ‘Area’, além de batizar o complexo de atividades, também anuncia as primeiras letras dos sócios Anderson Benchimol, Rodrigo Saavedra, Emerson Benchimol e Almério Augusto.

FONTE: New D24

Leave a comment

Your email address will not be published.


*