O que você conhece sobre as lesões do manguito rotador do ombro?

As lesões do manguito rotador (MR) estão entre as mais frequentes lesões tendinosas, podendo causar grande prejuízo na qualidade de vida. 

Qual sua frequência na população? Quem pode ser afetado?

O MR é formado por quatro músculos (supraespinal, infraespinal, redondo menor e subescapular), apresentando papel importante para o movimento e estabilidade do ombro. Tanto os jovens quanto os idosos podem ser afetados, sendo uma das grandes causas de dor, fraqueza e limitação de movimento no ombro. Essas lesões atingem 4% a 32% da população sendo mais comum com o avanço da idade, podendo afetar mais de 50% dos indivíduos que completaram os 60 anos.

CAUSAS
As lesões do MR são causadas por diversos fatores, entre eles:
– Movimentos repetitivos de elevação do braço, acima do nível do ombro, podendo ocorrer no trabalho, em atividades diárias ou em esportes de arremesso, como tênis, basquete, vôlei e natação;
– Alterações posturais, como desvios na coluna e encurtamentos musculares;
– Causas degenerativas, como envelhecimento e diminuição da circulação nos tendões;
– Traumáticos, como nas quedas, podendo estar associados a fraturas ou luxações do ombro.
SINTOMAS
– Dor no ombro que pode irradiar para o braço e pescoço;
– Piora da dor à noite;
– Algumas pessoas terão diminuição da força para movimentar o braço, podendo limitar a realização de atividades de vida diária, como tomar banho, pentear cabelos, coçar as costas ou vestir uma roupa.
DIAGNÓSTICO
O ortopedista especialista em ombro é o profissional indicado para a primeira avaliação e confirmação diagnóstica. Exame clínico e de imagem, como raio-x, ultrassom ou ressonância magnética são normalmente realizados para confirmação da lesão do MR.
TRATAMENTO
A escolha do tratamento dependerá do tamanho da lesão, estado do músculo, idade do paciente e tempo dos sintomas. O tratamento inicial costuma ser o conservador, com uso de anti-inflamatórios, repouso e fisioterapia.
A fisioterapia tem papel importante na recuperação. Após a avaliação médica e confirmação diagnóstica, o paciente será encaminhado para avaliação e tratamento com um fisioterapeuta. As sessões de reabilitação terão o objetivo de aliviar a dor, facilitar o retorno do movimento e força do ombro. O período de reabilitação poderá chegar a seis meses e a participação do paciente é fundamental para o sucesso do tratamento.
Nas situações de rompimento total do(s) tendão(ões) de forma traumática ou após seis meses de insucesso do tratamento conservador, a cirurgia terá sua indicação. A técnica cirúrgica mais utilizada atualmente é a artroscópica, com pequenos cortes no ombro favorecendo menor dano ao tecido. Após a cirurgia, o paciente deverá permanecer em uso de tipoia por, aproximadamente, quatro semanas e, em seguida, deverá iniciar programa de reabilitação. O tempo total de recuperação após a cirurgia dura, em média, quatro a seis meses.
CUIDADOS e PREVENÇÃO
– Evite realizar movimentos repetidos de elevação do braço acima do nível do ombro;
– Pratique atividade física com a orientação de profissionais especializados, realizando alongamento e fortalecimento adequados;
– As lesões do MR podem iniciar com uma simples inflamação, como tendinites ou bursites, e evoluir para uma fase de rompimento total do(s) tendão(ões);
– Ao início de dor no ombro, interrompa as atividades de esforço, procure um especialista e siga as orientações.

FONTE: I Saúde Bahia

Leave a comment

Your email address will not be published.


*