Mesmo no inverno cuidados com a pele devem ser mantidos. Veja as dicas.

Segundo a dermatologista Alessandra de Melo, as pessoas devem manter um processo de lavagem, hidratação e proteção diariamente e conforme o tipo de pele

Os cuidados com a pele não devem ser esquecidos depois do verão, época em que muitas pessoas redobram a atenção por conta das altas temperaturas. A preocupação dee ser constante, principalmente no que diz respeito à hidratação da pele.

Segundo a dermatologista Alessandra de Melo, as pessoas devem manter um processo de lavagem, hidratação e proteção diariamente e conforme o tipo de pele.

“Os cuidados básicos com a pele são feitos com um bom sabonete, indicado pela dermatologista e para o tipo específico de pele da pessoa. Para o corpo, a pele feminina precisa de sabonetes com fatores hidratantes. Já para a pele masculina, os homens devem usar um sabonete voltado para a pele oleosa. Hoje temos várias linhas voltadas para o homem e este é um mercado em ascensão. Além da lavagem, é fundamental fazer uma hidratação com produtos específicos e passar uma proteção solar para o tipo de pele. Os tônicos, adstringentes e a esfoliação são para alguns casos e devem ser indicados apenas pelo dermatologista”, explica.

Para evitar doenças, como câncer de pele e melasma, Alessandra ressalta que as pessoas devem procurar um dermatologista uma vez por ano. Ainda segundo a especialista, existem 16 tipos de pele e que os produtos devem ser indicados pelo dermatologista respeitando cada tipo.

“Antigamente, as pessoas achavam que existiam apenas quatro tipos de pele. Mas já foi comprovado que existem 16 tipos de pele, pois os tipos se misturam. Existe pele seca e acneica e pele seca e sensível, por exemplo. Por isso, é muito importante procurar um dermatologista para que ele possa indicar os produtos. Tem pacientes de pele clara que usam protetor fator 30 sem indicação do especialista. Ir ao dermatologista uma vez ao ano é fundamenta também para prevenir câncer de pele e hanseníase”, revela.

De acordo com Alessandra, as doenças mais comuns no inverno são ressecamento, secura, dermatite atópica, dermatite seborréica, além do agravamento de psoríase e aumento da queda de cabelo. Já no verão, as queimaduras solares, irritações como brotoeja, eczemas e melasma são mais comuns. Portanto, procurar um médico é a principal recomendação para se prevenir das doenças. A dermatologista ressalta que é possível indicar produtos bons, baratos e que trazem resultados.

“Hoje no mercado temos produtos super em conta, que um bom dermatologista consegue prescrever produtos. Não precisa ser coisas caras, mas precisa ser indicado pelo médico. O paciente deve falar com o médico quanto ele pode investir. Ele tem que deixar transparente o que ele espera do tratamento, quanto pode investir, quais são os melhores horários em que ele pode usar os produtos, entre outras questões”, frisa.

FONTE: Folha Vitória2020

Leave a comment

Your email address will not be published.


*