Outono começa e com ele é preciso cuidado com as doenças respiratórias

A queda na umidade e na temperatura provocam o aumento de doenças respiratórias típicas do outono, como a asma e a rinite alérgica.

As mudanças de estações do ano sempre são deliciosas. Estamos saindo do verão para entrar no outono. Oficialmente, o Brasil entra dia 20 de março, às 19h45, segundo dados do U.S. Naval Observatory.

A chegada do outono muda a paisagem. Na natureza o que fica mais visível é a descoloração das folhas das árvores e plantas, com queda muitas vezes; noites mais longas, que ficarão ainda mais longas com a chegada do inverno; as temperaturas caem e o ar fica mais seco.

A queda na umidade e na temperatura são duas combinações que provocam o aumento de doenças respiratórias típicas do outono. Asma e rinite costumam aparecer com tudo nessa estação.

Segundo dados da Organização Mundial de Saúde (OMS), no mundo, a asma atinge mais de 150 milhões de pessoas e tem uma frequência elevada entre as crianças. O Brasil está em 8º lugar no mundo com mais casos de asma entre a população, podendo chegar a 20% dependendo da faixa etária e região do país. Para se ter uma ideia do tamanho da “encrenca”, em 2007, os dados oficiais do Sistema Único de Saúde (SUS) registraram 273 mil internações e 2,5 mil mortes por causa da asma.

Já a rinite alérgica é considerada a doença respiratória mais frequente e que afeta o maior número de pessoas, chegando a atingir de 20% a 25% da população. Apesar dos sintomas serem menos graves que os da asma e outras doenças respiratórias, segundo a OMS, ela está na lista das 10 doenças que mais levam as pessoas a buscar atendimento em hospitais ou locais de tratamento de saúde.

O Brasil mais uma vez está entre os países com maior taxa de pessoas que sofrem com a doença. Só entre os adolescentes são quase 30% aqueles que têm rinite no Brasil. E no outono/inverno os casos de rinite aumentam 40%, conforme sinaliza estudos da OMS.

Além de ficar atenta aos sintomas e procurar um médico para tratar corretamente da doença respiratória tão logo ela apareça, alguns procedimentos podem ajudar. As dicas que estão abaixo fazem parte dos Cadernos de Atenção Básica – Doenças Respiratórias Crônicas, do Ministério da Saúde, destinado para Equipes de Saúde da Família.

Parar de fumar ativa ou passivamente
Perda de peso (quando indicado)
Realização de atividades físicas
Evitar exposição a ácaros ou alérgenos relacionados
Evitar exposição a mofo
Retirar animais domésticos se comprovada sensibilização
Evitar odores fortes e exposição ocupacional
Evitar locais de poluição atmosférica

FONTE: Disney Babble

Leave a comment

Your email address will not be published.


*