Outubro também é o mês dos idosos!

 

No 1º dia do mês é comemorada a data internacional da terceira idade como forma de relembrar a importância da saúde e consequentemente da prática de atividades físicas para essa faixa etária.

O mês de outubro se inicia com o Dia Internacional da Terceira Idade (01/10), data criada pela Organização das Nações Unidas (ONU) com o objetivo de qualificar a vida dos mais velhos. Entre os temas destacados na data comemorativa está a saúde, já que é ela quem garante a qualidade de vida, principalmente após os 65 anos – idade em que se inicia a terceira idade.

Para falar sobre saúde aos idosos, a importância da prática de atividades físicas continua sendo um dos principais temas debatidos. Segunda a professora da Companhia Athletica Curitiba, Ana Carla Zierke, o exercício físico é o grande aliado contra os efeitos do tempo. “Nosso corpo não foi feito para ficar parado, precisamos constantemente estimular seus movimentos funcionais. Pessoas que treinam tornam-se mais fortes, autônomas, com menos problemas de saúde, independentemente da idade”.

De acordo com ela não há limite de idade para se praticar exercícios. “O corpo em movimento carrega o equilíbrio para uma boa qualidade de vida. É preciso se mexer e se exercitar”, comenta. Há restrições para a terceira idade, mas nada que um bom profissional não possa orientar. “Existem limitações para aqueles que têm mais de 60 anos em termos articulares devido ao desgaste natural. Exercícios de alto impacto, por exemplo, não são muito recomendados. Porém, treinos bem orientados, com acompanhamento de profissionais são essenciais para quem deseja manter uma vida saudável”, explica a professora.

Quem faz atividade física recebe inúmeros benefícios para a saúde, mas, quem está na terceira idade pode contar com vantagens que se tornam transformadoras nessa faixa etária. Segunda a professora, entre elas está a independência nas rotinas diárias, a redução e até mesmo o desaparecimento de dores devido a problemas de osteoartrose – doença relacionada com a lesão degenerativa da cartilagem articular, controle e prevenção de doenças graves, como diabetes e hipertensão arterial, acidente vascular cerebral (AVC), entre outros.

E quando se fala em exercícios para a melhor idade, não basta apenas a prática da caminhada, por exemplo. De acordo com Ana Carla nessa idade é comum encontrar idosos caminhando, porém, apenas caminhar não é o suficiente para garantir uma verdadeira qualidade de vida. “O corpo precisa de fortalecimento específico. A sarcopenia, que é a perda de massa e força na musculatura esquelética, avança muito rápido na terceira idade. Precisa-se manter principalmente a força muscular, a flexibilidade muscular e uma boa aptidão física”, explica. O ideal para os idosos, na opinião da profissional é aliar a caminhada com a musculação e com exercícios de alongamentos, tudo acompanhado de bons profissionais.

Para dar o início a prática, também é preciso atenção e paciência. “É essencial procurar um médico, realizar exames e conhecer a real situação do corpo. Depois disso, deve-se procurar um profissional de Educação Física que vai controlar o volume e a intensidade dos exercícios e irá indicar quais práticas o idoso pode ou não fazer”, comenta ela. “Só assim ele terá um excelente começo”, ressalta.

Crédito foto: Divulgação