Quiropraxia melhora biomecânica do corpo, evitando lesões

A técnica da quiropraxia possui registros em manuscritos chineses e gregos, cerca de 2.700 anos a.C, mas sua organização aconteceu apenas em 18795, nos Estados Unidos pelo autodidata Dr. Daniel David Palmer. Ela consiste no reposicionamento das articulações que não estão dispostas da forma correta por algum motivo, além disso melhora a propriocepção do corpo, ou seja, o cérebro do paciente consegue sentir melhor o corpo em relação ao espaço ocupado. Isso ocorre devido aos diversos nervos que captam o posicionamento das articulações.

O quiropraxista da Clínica CM.2, Felipe Trindade, explica sobre a técnica. “Quando uma articulação está mal posicionada ou desalinhada, os nervos perdem um pouco da sensibilidade. Sendo assim, é enviado um sinal diferente para o cérebro, que irá reagir e tentar reorganizar esse posicionamento, o que gera um tensionamento muscular. A partir daí surgem diversos problemas como alterações posturais, tendinites entre outros”.

Não só os corredores ganham com a quiropraxia, mas sim qualquer praticante de atividade física, já que ela melhora o movimento biomecânico do corpo, ajudando assim a evitar lesões.

Quais métodos são utilizados na técnica da quiropraxia?

Segundo Felipe ela consiste basicamente em métodos manuais de ajustamento articular, mas também existem instrumentos específicos que podem ser utilizados.

Frequência

Costuma variar muito de pessoa a pessoa. Diversos fatores influenciam a frequência, como estilo de vida, carga de treino, estresse entre outros. “No início do tratamento existe uma frequência maior como 1 a 2 vezes por semana e depois vamos reduzindo e adaptando para a necessidade da pessoa. Para atletas que têm alto volume de treino, minha recomendação é manter uma rotina a cada 15 dias”, explica.

O mais interessante é que na primeira consulta já é possível observar resultados.

Benefícios para todos os esportes

Nos Estados Unidos, berço da quiropraxia, praticamente todos os times de esportes como basquete, futebol americano e basebol possuem quiropraxistas auxiliando os times. Nas universidades também estão presentes em atendimento para os alunos-atletas.
“Já recebi diversos clientes que estudaram fora e receberam a quiropraxia. Ao voltar para o Brasil me procuraram, para continuar cuidando da coluna”, conta.

Cuidados

O quiropraxista alerta para sempre ir em busca de um profissional graduado. “A técnica possui nível acadêmico e na América Latina existem apenas duas faculdades que ensinam quiropraxia, uma em São Paulo e outra no Rio Grande do Sul. Faça questão de verificar o currículo, afinal coluna é coisa séria e não deve ser negligenciada”.

Fonte: Webrun